Areal

Na íris do olho do mar

O reencontro do espelho e da revolta

O Eu.

 A espuma lava as pegadas do areal

Colhendo as pedras de sal

Força de furacão

Dividindo o bem do mal

Pra correr sem qualquer intenção

De chegar

Entrelaçar

Entre a lâmina afiada

E o abraço de uma criança

O fogo frio.

Marcelo C.

Dentro da noite

As vezes seguimos a vida com os olhos fechados, como uma escrita noturna. Afundado numa sensação de loucura. De vozes. De grito preso. Rancor disciplinar.

Apenas segue com a vida! Mas como a vida que segue se tu mesmo deixou de segui-la? Abandonou. Mandou embora. Trocou o endereço e sumiu…

A busca pela luz da lua congela, definha e te desafia! Lembrar que tem que existir calma, dentro do silêncio, dentro do eterno.

Marcelo C.