Certeiro no seu tempo

Destino
Correndo pra mim
Luz que emana de ti

Destino
Ligando as mãos em tracejados perfeitos
Juntando na mesma direção

Destino
Levando e trazendo como quer
Separando o homem de sua mulher

Destino
Calmaria de ser
Bala com destino certo

Marcelo C.

A mulher?

O tempo parado
Abonando o tempo perdido
O que as horas trazem para o ponteiro da vida?

Resgatando as sombras de dois corpos quentes
Transfusão causando confusão
De sentimento?

O desejo é como o tempo parado
Vem escorrendo entre frestas de rachaduras
O que trazes no espaço de tanto tempo?

Marcelo C.

Esperança, carnavais e dor.

A saudade é como água parada num riacho acostumado a tempestades.
Cada dia de festa, cada gota de suor, lembranças dos risos que foram contidos num dia de feira. Meu corpo esperando tua inundação tomar conta do meu quarto, do meu mundo!
E.

Decifrando a tímida pele num dia de festa, na noite da cidade que não presta.
Trouxe o teu destino pela mão, te guiei pelo som do grande clichê chamado meu coração…
C.

Prisão abalada pelo grito contido há tempos não ouvido, desconhecendo uma parte sua, colando em ti a melhor parte que há aqui. E reconhecendo o melhor lugar que escolhi descansar meus lábios.
D.

Marcelo C.